Arcebispo católico insinua que crianças também são responsáveis por pedofilia


O líder da Igreja Católica na Polónia está sob uma onda de críticas depois de ter sugerido no início deste mês que as crianças são parcialmente responsáveis pelos abusos sexuais sofridos por padres.

O arcebispo Jozef Michalik, líder do Episcopado na Polónia, comentava as revelações sobre padres pedófilos no país. E defendeu em declarações a jornalistas que uma criança oriunda de uma família disfuncional “procura proximidade com outros e pode perder-se, fazendo com que a outra pessoa também se envolva”.

Jozef Michalik

As declarações do religioso provocaram de imediato indignação, ao ponto de o bispo ter pedido desculpa ainda no mesmo dia alegando ter sido mal interpretado. Michalik esclareceu que não pretendia sugerir que as crianças vítimas de abusos eram de alguma forma responsáveis.

Mas apesar do recuo, as declarações não caíram em esquecimento. Cidadãos e políticos de relevo polacos têm expressado repúdio pelas palavras do arcebispo e ao longo de duas semanas não têm parado os debates sobre os abusos sexuais no seio da Igreja Católica. Para agravar a situação em torno de Michalik, a imprensa polaca revelou que o arcebispo terá apoiado um pároco que em 2004 foi condenado por crimes de pedofilia.

Em tribunal por crimes de pedofilia já estiveram 27 padres polacos desde 2001, mas a maioria dos casos acabou com penas de prisão suspensas, levantando o debate sobre a mão leve da Justiça sobre a Igreja na Polónia, país onde a religião católica é ensinada nas escolas e onde os líderes católicos participam em todas as cerimónias de Estado.

Em vários países, a Igreja Católica tem pago milhões em indemnizações por casos de abuso sexual de menores.

Fonte: AP/SOL