Manuel Luís Goucha vai processar o Estado português devido às «roupas coloridas»


A brincadeira do “5 Para a Meia-Noite” pode sair cara aos bolsos dos portugueses. Manuel Luís Goucha não gostou da decisão do tribunal e agora vai recorrer a outras instâncias.

No dia 28 de dezembro de 2009, quando ainda era transmitido na RTP2, o “5 Para a Meia-Noite” elegeu os melhores profissionais de TV do ano. Manuel Luís Goucha foi nomeado como «melhor apresentadora portuguesa»… e ganhou.

manuel-luis-goucha-3

O apresentador do “Você na TV!” não gostou da brincadeira e processou Carlos Moura, então coordenador do talk show de humor e Filomena Cautela, a apresentadora desse dia.

O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa não deu razão a Manuel Luís Goucha. No documento da decisão pode ler-se que o apresentador «é uma figura pública e, como tal, tem de estar habituado a que os humoristas captem uma ou outra característica da sua maneira de ser para fazer humor».

A polémica instalou-se nos parágrafos seguintes do documento citado pela Notícias TV e onde se pode ler que «sendo que todos lhe reconhecem características comportamentais que refletem atitudes atribuídas ao sexo feminino, tal como a sua forma de se expressar, as roupas femininas próprias do universo feminino, tendo sempre vivido num mundo de mulheres, veja-se os programas que sempre apresentou na TV».

Mais à frente, no mesmo texto é ainda referido que «o assistente [Manuel Luís Goucha] assumiu há pouco tempo a sua homossexualidade, orientação sexual quem em nenhum momento foi criticada pelos arguidos [Filomena Cautela e Carlos Moura]».

À NTV o apresentador conta que apresentou recurso para o Tribunal dos Direitos do Homem, sediado em Haia (Holanda) e exige uma indemnização do Estado português. O montante pedido por Manuel Luís Goucha não é revelado, mas fica a garantia que em caso de vitória a quantia vai ser doada a uma instituição.

Carlos Moura, que à época coordenava os conteúdos do “5 Para a Meia-Noite” e aprovou a piada acerca de Manuel Luís Goucha «não está arrependido porque se tratava de um programa de humor», mas acha bem que o apresentador «vá para a frente com a sua decisão» de exigir ao Estado português uma indemnização.

Filomena Cautela, que chegou mesmo a pedir desculpas em público pela piada e que agora apresenta o magazine cultural “Agora” na RTP2 não quis prestar declarações à NTV acerca do assunto.