Mourinho tira adepto do Real Madrid das ruas e dá-lhe trabalho


Real-Madrid-Training-Session-And-Press-Conference-1818546

Esta é uma história fantástica, contada pelo Daily Mail, que mostra uma faceta pouco conhecida de Mourinho.

Abel Rodriguez, um homem das limpezas que trabalhava no metro de Los Angeles, deixou os EUA com poucos dólares nos bolsos para tentar ver o clássico entre o Real Madrid e o Barcelona, em fevereiro.

Já em Madrid, sem dinheiro, sem onde dormir e sem conseguir o bilhete para o tão desejado jogo, Abel Rodriguez deslocou-se até ao centro de treinos dos merengues para, ao menos, ver os craques do Real Madrid.

Sentou-se na entrada do centro de estágios em Valdebebas onde esperou durante cinco horas até aparecer José Mourinho, que ia boleia com Rui Faria, o seu adjunto.

«Amigo, o que estás aí a fazer», perguntou Mourinho. «Vim visitar-vos. É a primeira vez que estou na Europa e o meu sonho era ver um jogo vosso. Esperava ver o El Clássico», respondeu Rodriguez.

Mas Rodriguez não era uma cara estranha para Mourinho. Durante a pré-época, em que os merengues estiveram nos EUA para alguns jogos de preparação, Rodriguez tinha conseguido concretizar um dos seus sonhos: ver de perto os jogadores do Real Madrid.

O mexicano foi um dos apanha-bolas nos treinos que o Real Madrid fez no campo da UCLA.

Segundo o Daily Mail, Mourinho reservou um quarto para Rodriguez no mesmo hotel onde estava hospedada a comitiva do Real Madrid e arranjou-lhe bilhetes para a zona VIP para o encontro com o Barcelona.

Depois Mourinho convidou o mexicano a integrar o seu staff, como técnico de equipamentos e a viajar com a equipa para Old Trafford para o jogo com o Mancheter United da Liga dos Campeões.

O homem das limpezas do metro de Los Angeles não só tinha visto o seu sonho tornado realidade como estava a ver um jogo da Liga dos Campeões, perto dos jogadores do Real Madrid, dos seus ídolos. Conheceu Chicharito Hernandez que lhe ofereceu uma camisola e voltou para Madrid ainda com uma das bolas do jogo e camisolas de Kaká, Essien e Ozil e muitas histórias para contar.

O mexicano, que deixou a mulher e três filhas nos EUA para ir ver o clássico, contou que foi a sua mulher a incentivá-lo a viver o sonho da sua vida.