Veja o eclipse solar já este domingo


Oito anos depois, este domingo será possível assistir em Portugal a um eclipse solar, que no nosso País será parcial, devido à localização geográfica. Trata-se de um eclipse híbrido (eclipse total e eclipse anelar), que se estende numa faixa estreita de visibilidade desde a Florida, EUA, até a Etiópia, na costa leste africana. A próxima ocorrência deverá acontecer apenas em 2015. Veja no final do artigo a forma segura de observar este fenómeno.

eclipse solar

Para uma observação em total segurança, o NUCLIO – Núcleo Interativo de Astronomia está a organizar um evento no Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal, localizado em S. Pedro de Estoril. Neste evento gratuito, que será aberto ao público e decorrerá entre as 11h30 e as 13h30, os participantes terão acesso a telescópios e equipamento de proteção adequado.

Será ainda possível fotografar o progresso do eclipse de forma totalmente segura e esclarecer eventuais dúvidas com os especialistas presentes no local. Segundo a informação divulgada pelo NUCLIO, o primeiro contato acontecerá por volta das 11h35, e por volta das 12h22 será o eclipse máximo. O último contacto deverá ocorrer pouco depois das 13h00.

RECOMENDAÇÕES PARA A OBSERVAÇÃO DO ECLIPSE

Grom Matthies, especialista em astronomia e futuro diretor da Casa da Astronomia (projecto a ser desenvolvido pelo NUCLIO), deixa algumas recomendações para a melhor observação deste fenómeno.

Segundo Matthies disse ao CM, em Lisboa apenas 14% do disco solar será obstruído pela lua. “A redução da luz de ambiente e da temperatura será praticamente imperceptível a quem não esteja ciente do eclipse”, referiu.

Contudo, a visibilidade parcial não dispensa a utilização de proteção adequada na observação do eclipse, de forma a “evitar danos irreparáveis ao olho”. O especialista refere que a solução mais segura e confortável é a utilização dos chamados “óculos de eclipse”, embora alerte para a dificuldade de os encontrar à venda no nosso país.

Uma alternativa relativamente económica aos óculos apropriados, segundo Grom Matthies, pode ser a “utilização de filtros de máscara de soldador, de densidade 13 ou 14”. É também possível recorrer a um pequeno espelho para projetar o sol numa parede, embora se trate de um processo mais complexo.

O astrónomo alertou ainda para o perigo da utilização de filmes raio-x como protecção contra raios Ultravioleta (UV), fazendo até uma comparação curiosa: “a protecção contra raios UV desses filmes é igual à de gelatina a servir de airbag num acidente rodoviário”.

Durante o eclipse, não é recomendável olhar diretamente para o sol, sem proteção, por mais de dez segundos em cada hora. O especialista refere ainda que pessoas com pele sensível devem usar protetor solar e, assim, evitar eventuais queimaduras. A exposição ao sol deve ser feita de forma cuidada.

Quanto à melhor localização, para além do evento organizado pelo NUCLIO, Grom Matthies refere que em Portugal será possível observar o eclipse em qualquer “local no exterior, com uma vista desobstruída para sul”.

Fonte: cmjornal